Reflexão: Cada Ano Que Passa…

9 01 2008
colunavalmir004.jpg

A cada ano que passa, estamos mais perto do cumprimento da profecia do Apocalipse onde Deus fará tudo novo: Novos Céus e Nova terra (Apocalipse 21).


Essa profecia nos mostra claramente que o mundo em que vivemos e seu sistema não são perfeitos, do contrário, não seria necessário ser substituído por uma Nova Ordem.

O Evangelho nos convoca para sermos profetas hoje anunciando esse novo tempo que virá onde Cristo estabelecerá Seu Reino pra sempre: um Reino de Justiça e Paz que será habitado apenas por aqueles que aceitaram o desafio de viver ligados à Verdade e à justiça em um mundo falso e injusto.

A volta de Cristo está mais próxima a cada ano que passa mas antes disso virá a apostasia, conforme está escrito em I Tessalonicenses, capítulo 2. Isso já tem acontecido. Temos visto a maneira como espíritos enganadores tem invadido as igrejas trazendo um falso evangelho que aliado à mudanças no cenário político e religioso no mundo, indicam a chegada do Grande líder mundial (O Anticristo). “Ele fará uso de todas as formas de engano da injustiça para os que estão perecendo, porquanto rejeitaram o amor e a verdade que os poderia salvar” (I Tess 2.10).

 
Este “espírito do Anticristo” já está atuando nesta era e tem vindo por meio de influências sutis, principalmente através dos meios de comunicação em massa. Influências que tem como objetivo afastar cada vez mais as pessoas do conhecimento da Verdade para obediência ao Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e prática da justiça. Influências que vêm para fazer o ser humano se acostumar com o que é errado e estranhar o que é certo.
 
O desafio neste novo ano que se inicia é não ceder à essa pressão sutil e malígna. Devemos nos apegar mais e mais à Verdade do Evangelho que é eficaz para equipar todo o ser humano na prática da justiça e do amor. Busque-mos em primeiro lugar o Reino de Deus neste novo ano para que nossa mente e alma estejam em lugar seguro na ambiência do Espírito e longe das más influências desta geração materialista, cheia de desamor e inimiga de Deus.
 
Amem-se uns aos outros e encham-se do Espírito de Deus.
Alegrem-se, celebrem a vida e sejam gratos a Deus por tudo.
Cultivem suas amizades com sinceridade e valorizem a família.
Socorram os necessitados.
Fazendo isso estarão seguros e farão a diferença!!
 
Se mantenham Em Sã Consciência.
 
Feliz 2008
 
Paz

badge_valmir.png
Anúncios




Reflexão: Imagem Não É Nada

23 10 2007

colunavalmir002.png

 

“Ele não tinha qualquer beleza ou majestade que nos atraísse, nada havia em sua aparência para que o desejássemos” (Isaías 53:2b)

No Calvário haviam três cruzes e três Homens condenados à morte.

Naquela Sexta-feira de Páscoa, muitos viajantes que estavam de passagem por ali viram aquela cena incrível e forte de execução. Também haviam ali muitos curiosos que pararam para ver a crucificação daqueles homens. Muitos destes viajantes e curiosos já tinham ouvido falar de um certo Galileu que andava causando polêmica na época, mas muitos não tinham uma informação concreta de quem Ele era.

Ao olhar para a cena da crucificação, viam 3 homens e o do meio muito mais castigado que os outros dois. Qualquer um faria uma análise direta: “São três criminosos que estão sendo executados por terem cometido algum crime, mas O que está na cruz do meio deve ser o pior deles, pois aparenta ter sido bem mais castigado e açoitado”.

A aparência do que estava na cruz do meio realmente era terrível. Marcas de fortes açoites por todo o corpo, o rosto desfigurado e uma corôa de espinhos que pressionava sua fronte e fazia sua cabeça inchar. Diante de alguém naquele estado, qualquer um diria: “Este está pagando caro por seus atos!”.

Fora do alcance dos espectadores, os condenados começam a conversar entre si. Um dos que estavam na cruz fala para Aquele que está na Cruz do meio:

“Salve-se a si mesmo e a nós!”. Mas o outro criminoso o repreendeu, dizendo: “Nós estamos sendo punidos com justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem, mas este homem não cometeu nenhum mal”. Depois que repreendeu o outro criminoso, falou para o que estava na Cruz do meio: “Lembra-te de mim quando entrares no teu Reino”.

E Aquele que estava na Cruz do meio respondeu: “Eu lhe garanto que hoje mesmo estará comigo no paraíso”.

Reino? Paraíso? Como um homem naquele estado, com uma corôa de espinhos na cabeça, ensanguentado e mostrando total impotência diante daquela situação, poderia ter um Reino e prometer o paraíso?

E mais: como aquele criminoso conseguiu ver um Rei na imagem de um homem castigado e sem forças naquela Cruz?

Ver um Rei em um homem com uma corôa de ouro cravejada de diamantes e vestido com vestes perfeitas é fácil. Mas como conseguir ver um Rei em um homem com uma corôa de espinhos e pregado numa cruz?

A Fé vai além do que os olhos podem ver.

Qualquer um que olhasse para aquela cena da crucificação e não tivesse ouvido falar nada a respeito dAquele que estava na Cruz do meio, nunca imaginaria que este era Deus e que um daqueles criminosos crucificado ao lado dEle acabava de receber a promessa de estar com Ele naquele mesmo dia no paraíso.

O criminoso viu um Rei nEle pois não interpretou a cena com seu olhos carnais. Ele viu além da cena, além daquela imagem: ele recebeu a Revelação. Ele viu que mesmo sendo insultado, Jesus clamou ao Pai: “Perdoa-lhes pois não sabem o que fazem”. Só um Rei de verdade teria majestade e força suficiente para perdoar aqueles que Lhe faziam mal!

Isso mostra o quanto nossas interpretações visuais são limitadas e que Deus instituiu a Fé como forma de agradar a Ele pois nossos olhos mentem pra nós mesmos muita das vezes.

Sem a Fé é impossível agradar a Deus, pois Deus e o Seu Reino estão além do que os olhos podem ver.

Jesus veio nos ensinar que não basta ter uma boa imagem e aparência, é preciso ter ESSÊNCIA. Normalmente somos atraídos pela imagem, estética e performance, mas esquecemos que se tudo isso não for acompanhado por Verdade na essência, nada vale.

Jesus atraíu para si muitos, não pela sua aparência, mas pelo que Ele É.

Ele nos deixou o exemplo para que façamos o mesmo.

Devemos buscar apresentar sempre o melhor na parte exterior, mas lembrando sempre que isso não é o mais importante no Reino dos Céus.

Imagem não é nada, essência é tudo.

Sigamos o exemplo do Mestre!

badge_valmir.png

 

Valmir Nascimento é cantor, compositor e integrante do grupo Exemplo. Você pode encontrar mais reflexões no blog Em Sã Consciência. Para contato com o grupo Exemplo, envie e-mail para contatoexemplo@yahoo.com.br.