Dicas de Gravação, Parte 2

8 11 2007

coluna_roby002.jpg

Continuando a falar de Gravação, aí vão mais algumas dicas.

É muito importante saber que a alimentação influencia na performance do cantor na hora de gravar.Em estúdio onde a captação e microfonação é bem objetiva e clara , qalquer movimento extra respiração e emissão de voz cantando e registrado pelos equipamentos.

Aqui vão algumas coisas que devemos evitar algumas horas antes de gravar:

– Comer demasiadamente;
– Tomar muita água alguns minutos antes de gravar;
– Tomar refrigerante estimulando a troca de gases interiores;
– Tomar liquido ou comer algo gelado antes de cantar;
– Gritar ou gargalhar;
– Cochichar por longo tempo;
– Forçar exercícios de aquecimento sem conhecimento ou orientação profissional;
– Não ter tido uma noite ou período de repouso adequado;
– Comer pipoca(por causa das casquinhas do milho estourado);
– Alimentos demasiadamente gordurosos;
– Chocolate, leite e derivados do leite (algumas horas antes de cantar);
– Café preto.

O que pode ajudar a ter uma boa qualidade vocal antes de cantar:

– 1/2 copo de água temperatura ambiente;
– Maçã;
– Gengibre em cristais (doce);
– Sucos cítricos;
– Um bom aquecimento e alongamento para as pregas vocais;
– Se estiver com o estômago vazio(o que não é aconselhável) coma uma barrinha de cereais sem ser de chocolate.

Procure ter bastante paciência ao gravar o seu CD. Tenha tempo de decorar as canções para que a interpretação seja de acordo com o tema da música e se possível grave duas músicas por vez.

Boa gravação.

badge_roby.png

Robson Nascimento é pastor, cantor, compositor, produtor musical e dono do estúdio MasterPiece Studios. Para maiores informações acesse www.masterpiecestudios.com.br ou www.robsonnascimento.com.br e você saberá mais sobre o MasterPiece Studios ou ligue para (11) 5908-0856 / 3384-0080.

Anúncios




Reflexão: Ai Daqueles…

30 10 2007

coluna_dani001.jpg

 

Quando orei pedindo que o Senhor me orientasse sobre o que escrever como minha primeira participação como colunista do Gospel Inside, Ele me deu as primeiras palavras do Salmo 10: “Ai daqueles que fazem leis injustas, que escrevem decretos opressores…”, que contextualizado na minha petição, me pareceu um sonoro “Não fale bobagens!”. Não escreva coisas opressoras, não contribua com seu parco conhecimento para o sectarismo que assola minha Igreja nos dias de hoje.

Demorei praticamente um mês para decidir sobre o que escreveria, inúmeros temas impactantes e polêmicos passaram pela minha cabeça, mas nenhum permaneceu, até que finalmente me dei conta que estava começando errado… então voltei-me à questão central, eu não havia recebido o convite para escrever coisas que eu penso, mas sim para ser instrumento de Deus, colocando meu conhecimento acadêmico a serviço da expansão do Reino, foi quando pedi Sua orientação.

Em meu consultório tenho vivido experiências maravilhosas colocando a psicologia como ferramenta para o trabalhar do Espírito. São inúmeros casos de curas profundas, salvação de famílias inteiras, restauração de casamentos e tantas outras obras que só Deus pode fazer. Tão diferente dos anos em que não conhecia a Jesus e meu consultório era cheio de mulheres sozinhas, raivosas, que viviam de relacionamentos platônicos, pessoas que buscavam se fortalecer para se relacionar contra os outros e não com eles.

A partir do momento que disse para Deus que queria trabalhar para Ele, uma grande mudança começou a acontecer, todas aquelas pessoas foram sendo substituídas por outras. Começaram a chegar pessoas que não O conheciam mas que O queriam e Deus começou a me usar para conduzí-las a Ele.

Não pretendo aqui levantar nenhuma bandeira a favor da psicologia, pois a cura só é possível mesmo através de Deus, mas quero testemunhar que ela – a psicologia -, tem sido uma ferramenta para levar muitos a Cristo, bem como esclarecer muitos que já estão na igreja, mas que por falta de entendimento de suas questões emocionais têm sido roubados da benção.

Infelizmente ouço muitos pastores pregarem contra a psicologia e já li muitas matérias com a mesma opinião, e esse é um dos inúmeros exemplos do sectarismo que citei acima. Quanto mais eu conheço pessoas das mais diferentes denominações, mais me assombro com o preconceito que permeia as diferentes manifestações de Cristo em sua Igreja. Falar em línguas, profetizar, intercessão de guerra, ministérios de ensino que exigem o cumprimento de usos e costumes nos dias atuais, aqueles que crêem que a graça destitui a obediência, e tantas outras vertentes, mais tem servido para separar do que para unir, o que é uma pena pois dessa forma deixamos de viver o corpo de Cristo com todas as suas partes, desde o dedinho até os pulmões!

De minha parte, e encerrando o que tenho a dizer, não venho para escrever decretos opressores, com a presunção de estar certa, mas pretendo contribuir de alguma forma para a união do Corpo.

Deus abençoe vocês.

badge_dani.png

Daniela Flieger Nascimento é esposa de Robson Nascimento e mãe de Ananda. Psicóloga, atende em seu consultório e como Líder do Ministério Mulheres na Mão do Oleiro, ministra seminários de psicologia e libertação emocional. Para maiores informações entre em contato através do telefone de seu consultório (11) 5572-6557.





Reflexão: Imagem Não É Nada

23 10 2007

colunavalmir002.png

 

“Ele não tinha qualquer beleza ou majestade que nos atraísse, nada havia em sua aparência para que o desejássemos” (Isaías 53:2b)

No Calvário haviam três cruzes e três Homens condenados à morte.

Naquela Sexta-feira de Páscoa, muitos viajantes que estavam de passagem por ali viram aquela cena incrível e forte de execução. Também haviam ali muitos curiosos que pararam para ver a crucificação daqueles homens. Muitos destes viajantes e curiosos já tinham ouvido falar de um certo Galileu que andava causando polêmica na época, mas muitos não tinham uma informação concreta de quem Ele era.

Ao olhar para a cena da crucificação, viam 3 homens e o do meio muito mais castigado que os outros dois. Qualquer um faria uma análise direta: “São três criminosos que estão sendo executados por terem cometido algum crime, mas O que está na cruz do meio deve ser o pior deles, pois aparenta ter sido bem mais castigado e açoitado”.

A aparência do que estava na cruz do meio realmente era terrível. Marcas de fortes açoites por todo o corpo, o rosto desfigurado e uma corôa de espinhos que pressionava sua fronte e fazia sua cabeça inchar. Diante de alguém naquele estado, qualquer um diria: “Este está pagando caro por seus atos!”.

Fora do alcance dos espectadores, os condenados começam a conversar entre si. Um dos que estavam na cruz fala para Aquele que está na Cruz do meio:

“Salve-se a si mesmo e a nós!”. Mas o outro criminoso o repreendeu, dizendo: “Nós estamos sendo punidos com justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem, mas este homem não cometeu nenhum mal”. Depois que repreendeu o outro criminoso, falou para o que estava na Cruz do meio: “Lembra-te de mim quando entrares no teu Reino”.

E Aquele que estava na Cruz do meio respondeu: “Eu lhe garanto que hoje mesmo estará comigo no paraíso”.

Reino? Paraíso? Como um homem naquele estado, com uma corôa de espinhos na cabeça, ensanguentado e mostrando total impotência diante daquela situação, poderia ter um Reino e prometer o paraíso?

E mais: como aquele criminoso conseguiu ver um Rei na imagem de um homem castigado e sem forças naquela Cruz?

Ver um Rei em um homem com uma corôa de ouro cravejada de diamantes e vestido com vestes perfeitas é fácil. Mas como conseguir ver um Rei em um homem com uma corôa de espinhos e pregado numa cruz?

A Fé vai além do que os olhos podem ver.

Qualquer um que olhasse para aquela cena da crucificação e não tivesse ouvido falar nada a respeito dAquele que estava na Cruz do meio, nunca imaginaria que este era Deus e que um daqueles criminosos crucificado ao lado dEle acabava de receber a promessa de estar com Ele naquele mesmo dia no paraíso.

O criminoso viu um Rei nEle pois não interpretou a cena com seu olhos carnais. Ele viu além da cena, além daquela imagem: ele recebeu a Revelação. Ele viu que mesmo sendo insultado, Jesus clamou ao Pai: “Perdoa-lhes pois não sabem o que fazem”. Só um Rei de verdade teria majestade e força suficiente para perdoar aqueles que Lhe faziam mal!

Isso mostra o quanto nossas interpretações visuais são limitadas e que Deus instituiu a Fé como forma de agradar a Ele pois nossos olhos mentem pra nós mesmos muita das vezes.

Sem a Fé é impossível agradar a Deus, pois Deus e o Seu Reino estão além do que os olhos podem ver.

Jesus veio nos ensinar que não basta ter uma boa imagem e aparência, é preciso ter ESSÊNCIA. Normalmente somos atraídos pela imagem, estética e performance, mas esquecemos que se tudo isso não for acompanhado por Verdade na essência, nada vale.

Jesus atraíu para si muitos, não pela sua aparência, mas pelo que Ele É.

Ele nos deixou o exemplo para que façamos o mesmo.

Devemos buscar apresentar sempre o melhor na parte exterior, mas lembrando sempre que isso não é o mais importante no Reino dos Céus.

Imagem não é nada, essência é tudo.

Sigamos o exemplo do Mestre!

badge_valmir.png

 

Valmir Nascimento é cantor, compositor e integrante do grupo Exemplo. Você pode encontrar mais reflexões no blog Em Sã Consciência. Para contato com o grupo Exemplo, envie e-mail para contatoexemplo@yahoo.com.br.





Música Gospel Brasileira: Um Novo Mover, Somente Vendas ou Síndrome de Balaão?

10 10 2007

colunapingo001a.png

 

Realmente estamos vivendo momentos muito especiais dentro da Música Gospel Brasileira. Tempos atrás éramos os excluídos da sociedade, os veículos de comunicação não abriam as portas para a nossa música – que achavam a mesma velha e cafona -, não tínhamos os melhores equipamentos e nem as melhores estruturas de shows e gravações.

Hoje, graças a Deus, a nossa realidade é outra: somos o segundo maior seguimento em vendas de CDs e DVDs no Brasil, perdendo somente para o Sertanejo e Axé. Hoje temos as melhores estruturas de shows e gravações de CDs e DVDs, lotamos estádios, teatros e praças. Temos os melhores músicos e cantores e um público fiel nas apresentações e aquisições de nossos produtos. Aí eu te pergunto: será que tudo isso é um novo mover de avivamento de nossa música evangélica?

Infelizmente existem vários cantores, duplas, bandas e corais que têm se utilizado dessa vitória conquistada após muitos anos de luta e usado de forma indevida. Falam que têm a mente de Cristo, mas não reformulam as linguagens musicais e nem suas mensagens.

A mesmice tem cansado muitas pessoas. As mesmas batidas australianas, inglesas e outras, que não se encaixam com a verdade do nosso Brasil. Isso é um fator histórico hereditário, sempre gostamos e executamos coisas que são vindas de outros lugares, mas nunca utilizamos as ferramentas que o Senhor tem dado ao nosso País. Não estou falando somente de rítmos, mas também de criatividade.

Vemos o mundo secular exportando aquilo que é nosso com músicas e letras que não levam a nada, temos que realmente tomar posse do que é nosso por direito, utilizarmos no reino de Deus e colocarmos em prática nesse país, que tem promessa de ser o verdadeiro portal de avivamento dos últimos tempos.

Chega de utilizarmos aquilo que foi entregue a outros países. Temos que parar de fazer músicas que estão “na moda”, com intenção de somente ganhar dinheiro em vendas de CDs.

Vamos acordar levitas e ministérios de louvor! Deus tem uma estratégia nova para nos entregar. Não queira ter a síndrome de Balaão (Num. 22:23-25), que fazia a vontade de Deus na frente das pessoas, mas por trás o seu coração estava voltado aos lucros, ao dinheiro.

Chega de somente querer fazer músicas com temas de chuvas, raios, trovões, noivas, águias, leões e outros. Precisamos resgatar o genuíno evangelho, que é levar as boas novas de salvação, mensagens de paz , amor de Deus para com o Homem, de mudança de vida, de uma porta de saída para uma sociedade que vive amedrontada e triste. Precisamos levar alegria de vida, independente de rítmos e estilos de música.

Vamos amar a nossa Pátria, vamos amar os nossos rítmos e fazê-los assim como armas de guerra para um avivamento real, sem interesses próprios, mas com o coração voltado ao crescimento do Reino de Deus. Sabendo que toda regra tem sua exceção, graças a Deus temos bandas, cantores, grupos que levam a mensagem do Reino com qualidade e de forma criativa e direcionada.

Fiquem com Deus!

badge_pingo.png

Mr.Pingo é Músico, Ministro de Louvor, Produtor Musical e Artístico e Líder do Ministério Quenani de Brasília, Distrito Federal. Para maiores informações, acesse: www.quenani.com ou ligue para (61) 3965-2383.





Reflexão: Deus Espera Mais

4 10 2007

colunavalmir001.png

Estava ouvindo a música “Deus esperava mais” do APC 16 com o Robson Nascimento e me veio a mente uma citação que li do escritor W.H. Auden:


“No Dia do Juizo, Deus pode reduzir-te a lágrimas de vergonha,
Recitando de cor os poemas que poderias ter escrito com tuas atitudes,
Se tua vida tivesse sido boa.”

Ao examinarmos o evangelho podemos perceber o modo como Jesus olhava as pessoas na sua época. As atitudes de Cristo eram como poemas de amor e justiça. Quando Jesus chamou Mateus para ser discípulo, Ele viu além de um coletor de impostos: ele viu um Evangelista (Lucas 5.27).

Quando Ele se deparou com a mulher samaritana no poço, ele viu além de uma mulher que tinha tido 5 maridos e estava hoje em um relacionamento com um homem que não era seu marido. Ele viu uma pessoa que poderia fazer uma revolução na sua comunidade através do seu testemunho pessoal (João 4.28,29).

Quando ele olhou para cima e viu Zaqueu naquela árvore, Ele viu além do baixinho trambiqueiro que tinha a mania de extorquir dinheiro. Ele viu alguém que precisava da sua atenção e isso bastou para que Zaqueu decidisse mudar de vida e arrepender-se dos seus erros (Lucas 19.8-10).

Ao se deparar com o Gadareno, Jesus viu além do seu estado de possessão e marginalidade. Ele viu um missionário, que agora poderia voltar para sua família e pregar a mensagem que liberta sendo ele mesmo prova viva disso (Lucas 8.38,39).

Poderíamos citar vários outros exemplos que encontramos na história de Cristo.

Deus sempre vê além e espera mais de todos os seres humanos. Muita das vezes, o olhar da comunidade Cristã hoje em relação às pessoas não acompanha essa visão de Deus. Sabemos que vivemos em um mundo caído e que muitos não querem aceitar a Verdade. Mas não são poucas as vezes em que a fé nos falta e nos apressamos em julgar as pessoas “do mundo” ao invés de estender a mão e dar uma chance, assim como Cristo fez e faz com todas as pessoas que se deparam com Ele.

Esquecemos que também estavamos mortos em nossas transgressões e Ele nos deu vida e uma nova chance. Os “Coletores de impostos”, as “samaritanas” junto ao poço, os “Zaqueus” e os “Gadarenos” estão hoje no século 21 representadas pelas pessoas que não são bem quistas, que sofrem o preconceito e que vivem à margem da sociedade e do moralismo.

Os tempos mudaram, o enfoque mudou, mas as necessidades das pessoas permanecem as mesmas: amor, perdão e compreensão. Assim como Deus esperava mais de nós quando éramos pecadores e nos chamou para sermos justos, Ele espera mais de nós no que diz respeito à misericórdia e o amor da nossa parte para com o próximo. Assim como ele nos deu uma uma nova chance, estamos na terra para estender essa Boa Nova a todos: de que todos podem ter uma nova chance não importa o quão longe tenham ido.

Devemos cada vez mais abrir nosso coração e nossos olhos para os menos favorecidos e os discrimanados pela sociedade e pela religião. Devemos seguir o exemplo de Cristo estendendo a graça até eles e não nos fechando apenas como “Comunidade Cristã” e deixando do lado de fora os doentes da nossa sociedade.

Deus espera mais de nós. Espera que possamos ser como seu Filho Jesus e convidemos os cansados e oprimidos para que possam encontrar alívio. Ele espera que sejamos Sal da terra, mas o Sal só tem utilidade fora do saleiro. O Criador quer que sejamos luz do mundo, mas a luz tem seu efeito total ao brilhar nas trevas. Não devemos ser como o sacerdote e o levita na parábola do bom samaritano. Estavam satisfeitos com seus cargos religiosos e tão “em si mesmados” que se acharam desobrigados a ajudar aquele ferido na estrada. É tempo de acordar e ter uma visão além das paredes das nossas igrejas locais.

Devemos ser um povo separado no que diz respeito às boas obras e não “separados” vivendo longe daqueles que precisam de um toque de cura na alma. Devemos lembrar que Jesus tocou leprosos, perdoou pecados aparentemente imperdoáveis, ganhou a fama de ‘amigo de pecadores’ e foi discriminado pela religião da época por causa disso tudo.

Nós somos separados para poder mostrar às pessoas que existe um outro lado e que o ser humano pode mudar.

Devemos cumprir o ide e ir na direção dos nessecitados compartilhando nosso amor, nossa Fé, nossa arte, alegria e tudo que tivermos de bom para compartihar. Não estamos aqui para julgar os pecadores mas para amar e ter a visão de Deus: enxergar além do pecado e ver a Salvação.

Ele nos enviou e comissionou para a obra porque espera mais de nós e estará conosco todos os dia até o fim.

Pense nisso!

badge_valmir.png

Valmir Nascimento é cantor, compositor e integrante do grupo Exemplo. Você pode encontrar mais reflexões no blog Em Sã Consciência. Para contato com o grupo Exemplo, envie e-mail para contatoexemplo@yahoo.com.br.

 





Dicas de Gravação, Parte 1

20 09 2007

colunaroby001.png

O Repertório

É muito importante escolher, analisar e organizar o repertório que será gravado de acordo com o estilo desejado e timbre de voz. Isso facilitará no quesito interpretação e escolha da ordem em que as músicas serão gravadas.

Se no seu repertório existir músicas com velocidades, ritmo e pulsação variadas (lentas e rápidas), a minha sugestão é que você comece a trabalhar pelas canções que exijam maior desenvolvimento rítmico, pois a pulsação mais rápida no início da gravação ajuda no aquecimento das suas pregas vocais e na sua disposição para a gravação.

Gravando Músicas com Pulsações Rápidas

A sensibilidade auditiva é algo muito pessoal, porém existe um padrão universal para a gravação de voz. Fique atento ao volume do fone de ouvido e como a musica é rapida, o apelo percussivo vai estar em evidência. Prefira portanto a “cozinha” (bateria, percussão e baixo) em destaque na mixagem do seu fone e em segundo plano a harmonia (teclado e guitarra).

Se a música exigir volumes mais acentuados em alguns trechos, a “cozinha” vai dar a base para que você não saia do rítmo. Obviamente a harmonia também será guia para sua afinação, mas como a música é ritmada, o importante é vibrar junto com ela!

Performance na Gravação

Para que a gravação tenha uma qualidade satisfatória quanto à interpretação, é essencial o cantor, se possível, decorar a música. A diferença de quem canta lendo e canta sabendo é muito perceptível no resultado final.

Quando se está lendo fica mais difícil viver a canção e a sua mensagem.

É isso aí, até a próxima.

badge_roby.png

Robson Nascimento é pastor, cantor, compositor, produtor musical e dono do estúdio MasterPiece Studios. Para maiores informações acesse o conteúdo Talento do Mês e você saberá mais sobre o MasterPiece Studios ou ligue para (11) 5908-0856 / 3384-0080.