Reflexão: Ai Daqueles…

30 10 2007

coluna_dani001.jpg

 

Quando orei pedindo que o Senhor me orientasse sobre o que escrever como minha primeira participação como colunista do Gospel Inside, Ele me deu as primeiras palavras do Salmo 10: “Ai daqueles que fazem leis injustas, que escrevem decretos opressores…”, que contextualizado na minha petição, me pareceu um sonoro “Não fale bobagens!”. Não escreva coisas opressoras, não contribua com seu parco conhecimento para o sectarismo que assola minha Igreja nos dias de hoje.

Demorei praticamente um mês para decidir sobre o que escreveria, inúmeros temas impactantes e polêmicos passaram pela minha cabeça, mas nenhum permaneceu, até que finalmente me dei conta que estava começando errado… então voltei-me à questão central, eu não havia recebido o convite para escrever coisas que eu penso, mas sim para ser instrumento de Deus, colocando meu conhecimento acadêmico a serviço da expansão do Reino, foi quando pedi Sua orientação.

Em meu consultório tenho vivido experiências maravilhosas colocando a psicologia como ferramenta para o trabalhar do Espírito. São inúmeros casos de curas profundas, salvação de famílias inteiras, restauração de casamentos e tantas outras obras que só Deus pode fazer. Tão diferente dos anos em que não conhecia a Jesus e meu consultório era cheio de mulheres sozinhas, raivosas, que viviam de relacionamentos platônicos, pessoas que buscavam se fortalecer para se relacionar contra os outros e não com eles.

A partir do momento que disse para Deus que queria trabalhar para Ele, uma grande mudança começou a acontecer, todas aquelas pessoas foram sendo substituídas por outras. Começaram a chegar pessoas que não O conheciam mas que O queriam e Deus começou a me usar para conduzí-las a Ele.

Não pretendo aqui levantar nenhuma bandeira a favor da psicologia, pois a cura só é possível mesmo através de Deus, mas quero testemunhar que ela – a psicologia -, tem sido uma ferramenta para levar muitos a Cristo, bem como esclarecer muitos que já estão na igreja, mas que por falta de entendimento de suas questões emocionais têm sido roubados da benção.

Infelizmente ouço muitos pastores pregarem contra a psicologia e já li muitas matérias com a mesma opinião, e esse é um dos inúmeros exemplos do sectarismo que citei acima. Quanto mais eu conheço pessoas das mais diferentes denominações, mais me assombro com o preconceito que permeia as diferentes manifestações de Cristo em sua Igreja. Falar em línguas, profetizar, intercessão de guerra, ministérios de ensino que exigem o cumprimento de usos e costumes nos dias atuais, aqueles que crêem que a graça destitui a obediência, e tantas outras vertentes, mais tem servido para separar do que para unir, o que é uma pena pois dessa forma deixamos de viver o corpo de Cristo com todas as suas partes, desde o dedinho até os pulmões!

De minha parte, e encerrando o que tenho a dizer, não venho para escrever decretos opressores, com a presunção de estar certa, mas pretendo contribuir de alguma forma para a união do Corpo.

Deus abençoe vocês.

badge_dani.png

Daniela Flieger Nascimento é esposa de Robson Nascimento e mãe de Ananda. Psicóloga, atende em seu consultório e como Líder do Ministério Mulheres na Mão do Oleiro, ministra seminários de psicologia e libertação emocional. Para maiores informações entre em contato através do telefone de seu consultório (11) 5572-6557.





Análise: Daniel Ribeiro ‘Panthro’ ~ Meu Sonho

26 10 2007

panthro_meusonho.png

O paulista Daniel Ribeiro, ou Panthro como é conhecido por alguns, é membro da IASD de Jardim das Palmas em Campo Limpo – SP. Criado em um lar cristão, desde pequeno freqüentava a igreja e assistia apresentações de diversos cantores. Porém, não tinha nenhuma ligação ou interesse pela música.

Mas em 2001, a convite de uma amiga foi ver o grupo Raiz Coral em uma das suas apresentações e se apaixonou. Dali começou a acompanhá-los frequentemente, até quem um dia Sérgio Saas o convidou para participar do coral e ali começou seu ministério.

Daniel, que era apenas um simples admirador da música, começou a se destacar pela sua peculiaridade musical. Passou então a compor a lista dos solistas do coral. Como uma boa e singular performance vocal, Saas o convidou para fazer parte de um quarteto nascido do próprio coral, o Lynk4, onde gravou um cd com destaque em vários solos.

Daniel não parou por aí, passou a ser convidado para participar de outros trabalhos, tais como: PG, Voz da Verdade, Ministério Apascentar de Nova Iguaçu (Toque no Altar), entre outros no meio gospel.

Apesar do pouco tempo de carreira, ele já dividiu o palco com grandes nomes do gospel nacional e internacional, como: Álvaro Tito, Fat Family, Priscila Angel, Marquinhos Gomes, Robson Nascimento, David Fantazinni, Kirk Franklin, Take 6, entre outros.

Em 2006, atendendo o chamado de Deus para o ministério solo, lançou o seu primeiro cd, intitulado “Meu Sonho”. O álbum traz participações especiais de Junior e Jezrell, Ton e Karina Carfi, do rapper Lito Atalaia, além de toda trupe do Raiz Coral fazendo alguns back vocals. Com 7 composições de sua autoria, o álbum traz ainda 2 regravações e uma versão do Ministério Hillsong.

A faixa título é uma balada que demonstra toda a versatilidade do crooner tanto como compositor, tanto intérprete. “Meu Sonho” versa de forma poética e melódica sobre a nossa morada celestial relatada pelo profeta Isaias e por João em seu livro onde narra o Apocalipse.

“A Cura” é uma versão para “The Healing” do Hillsong. Traz como um “toque a mais” a maravilhosa interpretação de Carina Carfi que em breve estará lançando seu primeiro cd solo.

“Tudo Por Mim”, que foi a última composição a ser composta para o cd, vem com a pegada black característica de Panthro desde a época de Raiz Coral e Link 4. A canção que exalta a obra e o amor de nosso Senhor Jesus Cristo, tem uma das letras mais belas do disco.

“Pelo Nome De Jesus” é uma vinheta com interpretação a capela tão boa que deixa um gostinho de que poderia ter sido melhor aproveitada.

Pra quem curte Raiz Coral, “O Chamado De Deus” vai estar entre as favoritas do álbum. Traz vocais “gringos” idealizados por Saas e arranjos de base criados por Jessé (que tem um cd lançado pela Saas Music chamado “Simples Natural”). Excelente!

Pra quem curte Link 4, “Não Há Quem Possa” vai estar entre as melhores do álbum. Traz a participação de Junior e Jezrrel, que há muito tempo já deixaram de ser uma “promessa” do programa do Raul Gil e tem sido uma realidade no cenário black gospel nacional. Somzeira!

Se as duas canções anteriores já valeram a aquisição deste lançamento, “Eu Sei” complementa esta ótima seqüência de black music. Com participação do rapper Lito Atalaia temos mais uma bela canção com letra de louvor e adoração ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo sem aquele monte de clichês que tem invadido e trazido mediocridade a música evangélica. Parabéns aos compositores.

“Além Do Rio” e “Não Me Esqueci De Ti” são duas regravações de Jader D. Santos. A primeira traz a participação de Ton Carfi, ex-companheiro de Link 4, que também lançou seu primeiro álbum solo em 2006. Ambas possuem uma pegada mais congregacional, mas são belíssimas. A segunda então é um clássico da música evangélica nacional.

Daniel é um barítono nato e interpreta canções com tonalidades médias. Em “De Volta Ao Lar” ele arrisca notas mais altas, características das canções interpretadas por Ton Carfi e Leonardo Gonçalves. Destaque para o arranjo da canção que traz um piano e voz acompanhados por belas frases de sax.

Fechando este ótimo lançamento “Teu Nome É Santo” é um hino prato-cheio-pro-ministro-de-louvor-interagir-com-a-igreja. Canção de entrega e contrição que envolve e contagia.

“Meu Sonho” são supre as expectativas de quem esperava um cd de black music, mas com certeza deve ser incluído na relação de melhores do ano de 2006.

O estilo e a voz inconfundível de Daniel Ribeiro inspira a cada vez quem o ouve. Que venham outros com a mesma qualidade musical, lírica e instrumental.

badge_roberto.png





Reflexão: Imagem Não É Nada

23 10 2007

colunavalmir002.png

 

“Ele não tinha qualquer beleza ou majestade que nos atraísse, nada havia em sua aparência para que o desejássemos” (Isaías 53:2b)

No Calvário haviam três cruzes e três Homens condenados à morte.

Naquela Sexta-feira de Páscoa, muitos viajantes que estavam de passagem por ali viram aquela cena incrível e forte de execução. Também haviam ali muitos curiosos que pararam para ver a crucificação daqueles homens. Muitos destes viajantes e curiosos já tinham ouvido falar de um certo Galileu que andava causando polêmica na época, mas muitos não tinham uma informação concreta de quem Ele era.

Ao olhar para a cena da crucificação, viam 3 homens e o do meio muito mais castigado que os outros dois. Qualquer um faria uma análise direta: “São três criminosos que estão sendo executados por terem cometido algum crime, mas O que está na cruz do meio deve ser o pior deles, pois aparenta ter sido bem mais castigado e açoitado”.

A aparência do que estava na cruz do meio realmente era terrível. Marcas de fortes açoites por todo o corpo, o rosto desfigurado e uma corôa de espinhos que pressionava sua fronte e fazia sua cabeça inchar. Diante de alguém naquele estado, qualquer um diria: “Este está pagando caro por seus atos!”.

Fora do alcance dos espectadores, os condenados começam a conversar entre si. Um dos que estavam na cruz fala para Aquele que está na Cruz do meio:

“Salve-se a si mesmo e a nós!”. Mas o outro criminoso o repreendeu, dizendo: “Nós estamos sendo punidos com justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem, mas este homem não cometeu nenhum mal”. Depois que repreendeu o outro criminoso, falou para o que estava na Cruz do meio: “Lembra-te de mim quando entrares no teu Reino”.

E Aquele que estava na Cruz do meio respondeu: “Eu lhe garanto que hoje mesmo estará comigo no paraíso”.

Reino? Paraíso? Como um homem naquele estado, com uma corôa de espinhos na cabeça, ensanguentado e mostrando total impotência diante daquela situação, poderia ter um Reino e prometer o paraíso?

E mais: como aquele criminoso conseguiu ver um Rei na imagem de um homem castigado e sem forças naquela Cruz?

Ver um Rei em um homem com uma corôa de ouro cravejada de diamantes e vestido com vestes perfeitas é fácil. Mas como conseguir ver um Rei em um homem com uma corôa de espinhos e pregado numa cruz?

A Fé vai além do que os olhos podem ver.

Qualquer um que olhasse para aquela cena da crucificação e não tivesse ouvido falar nada a respeito dAquele que estava na Cruz do meio, nunca imaginaria que este era Deus e que um daqueles criminosos crucificado ao lado dEle acabava de receber a promessa de estar com Ele naquele mesmo dia no paraíso.

O criminoso viu um Rei nEle pois não interpretou a cena com seu olhos carnais. Ele viu além da cena, além daquela imagem: ele recebeu a Revelação. Ele viu que mesmo sendo insultado, Jesus clamou ao Pai: “Perdoa-lhes pois não sabem o que fazem”. Só um Rei de verdade teria majestade e força suficiente para perdoar aqueles que Lhe faziam mal!

Isso mostra o quanto nossas interpretações visuais são limitadas e que Deus instituiu a Fé como forma de agradar a Ele pois nossos olhos mentem pra nós mesmos muita das vezes.

Sem a Fé é impossível agradar a Deus, pois Deus e o Seu Reino estão além do que os olhos podem ver.

Jesus veio nos ensinar que não basta ter uma boa imagem e aparência, é preciso ter ESSÊNCIA. Normalmente somos atraídos pela imagem, estética e performance, mas esquecemos que se tudo isso não for acompanhado por Verdade na essência, nada vale.

Jesus atraíu para si muitos, não pela sua aparência, mas pelo que Ele É.

Ele nos deixou o exemplo para que façamos o mesmo.

Devemos buscar apresentar sempre o melhor na parte exterior, mas lembrando sempre que isso não é o mais importante no Reino dos Céus.

Imagem não é nada, essência é tudo.

Sigamos o exemplo do Mestre!

badge_valmir.png

 

Valmir Nascimento é cantor, compositor e integrante do grupo Exemplo. Você pode encontrar mais reflexões no blog Em Sã Consciência. Para contato com o grupo Exemplo, envie e-mail para contatoexemplo@yahoo.com.br.





Comunhão & Adoração 6

22 10 2007

comunhaoadoracao6.png

30, 60, 1917, 8… os números que compreendem essa sexta edição do Comunhão & Adoração são muitos. Trinta são os longos anos do bem sucedido e abençoado ministério do Pastor Adhemar de Campos. Sessenta é a quantidade de músicos no palco dessa grande gravação. Mil novecentos e dezesete é o ano de construção do Teatro escolhido como cenário para essa produção. Oito são as câmeras que registraram tudo isso para que não se perdesse nenhum detalhe. O resultado dessa expressão certamente ficará marcado no gospel brasileiro.

A série Comunhão & Adoração – que surgiu em 1997 idealizada por Ricardo Carreras, diretor da Aliança -, vem se superando a cada edição. “A idéia do projeto veio do desejo de registrar adoradores em um momento de comunhão”, segundo Carreras e acredito que nesta sexta edição, a série atingiu seu ápice até aqui. O Comunhão & Adoração 6 celebra os 30 anos de ministério de um dos pastores-líderes-cantores-músicos-compositores mais bem sucedidos e mais referenciados da música cristã brasileira: Adhemar de Campos.

Nenhum outro ministro de louvor teve mais músicas cantadas em Igrejas de norte a sul e permanece por tantos anos como ele. Verdadeiramente vê-se o mover e a direção de Deus no ministério Adhemar de Campos e é isso que essa edição do Comunhão & Adoração registra: vários de seus seguidores, pessoas que foram tocadas, alcançadas e tiverem como modelo e inspiração as músicas, as ministrações e a vida dele e entre tantas pessoas, algumas estiveram no palco junto com ele nessa celebração: Pregador Luo, Ronaldo Bezerra, Fernandinho, Nívea Soares, Soraya Moraes, Ana Paula Valadão, Massao, Davi Sacer, Luiz Arcanjo, David Quinlan e outros.

Tudo é marcante nessa produção. O teatro escolhido, um dos mais antigos e suntuosos de São Paulo, o Theatro São Pedro, construído em estilo neo-clássico no ano de 1917, foi mais um dos cuidadosos detalhes que emoldurou a beleza da noite. Todas as músicas foram re-arranjadas para o acompanhamento da Orquestra Filarmônica de São Caetano do Sul, que junto com uma banda de primeira, somavam 60 músicos em palco. Os backing vocals ficaram por conta de Paulo César Baruk, Rachel Novaes, Raquel Rodrigues e Marlon Saint, com arranjos do próprio Baruk.

A escolha do repertório não foi uma tarefa fácil, pois entre as quase 500 canções compostas pelo Pastor Adhemar, os produtores tiveram como objetivo identificar àquelas que fazem parte da história da música evangélica, canções como: “Ele É Exaltado”, “Grande É O Senhor”, “Homem De Guerra”, “O Nome De Jesus”, “Amigo De Deus”, “Louvemos Ao Senhor”, “O Leão Da Tribo De Judá”, “Tributo A Yehovah” e “Bem Supremo”, além da gravação da canção “Ele Vem Pra Te Salvar”, de autoria de Bob Fitts. A escolha dos duetos levou em consideração o timbre e o estilo de cada participante convidado.

Um momento de emoção durante a noite antecedeu a canção “Bem Supremo”. Adhemar chama ao palco a esposa, Pastora Aurora, para dar um testemunho sobre a filha que eles haviam perdido no início de seu ministério e a forma milagrosa como Deus agiu na vida deles. Após o breve relato, juntam-se a eles no palco as duas filhas e a nora com o marido Rodrigo, que ministra com o pai a canção “Bem Supremo”.

O resultado é um trabalho belíssimo, que pode ser encontrado em CD e DVD, gravados com captação de som e imagens impecáveis e, o mais importante, a presença e unção do Senhor é sentida do começo ao fim. Glória a Deus pelo ministério do Pastor Adhemar, por esse projeto e pelas várias vidas que serão alcançadas por ele. Imperdível.

 

O CD e DVD já estão disponíveis nas melhores lojas, caso você não os encontre em sua cidade, ligue para (11) 5077-7200 e obtenha maiores informações sobre como adquirí-los.

comunhaoadoracao6_post.png





Análise: Templo Soul ~ O Que Há De Melhor Em Mim

19 10 2007

ts_coletanea.png

Com um repertório que possui letras criativas que tratam não só de assuntos relacionados ao cristianismo, mas também de situações que vivemos em nosso dia-a-dia, a banda Templo Soul já soma em sua carreira três discos de louvor e adoração com versos que vão além dos clichês e chavões evangélicos.

Pioneiros na black music, fazendo um soul de primeira qualidade, tiveram seu primeiro álbum lançado no final da década de 90, intitulado apenas Templo Soul, onde a música “Caixa d’água” se tornou uma das mais pedidas nas programações das rádios evangélicas de todo o País.

Nestes 10 anos de ministério receberam vários prêmios, entre eles, o B-Unit de melhor show em 2004 e o Troféu Talento de melhor cd de Black Music em 2005.

Em abril de 2006, gravaram um cd em parceria com grupo APC 16 (somando então quatro álbuns ao total), onde conseguiram mostrar toda sua versatilidade nessa junção de estilos.

“O Que Há De Melhor Em Mim” é uma coletânea que trás um repertório com 14 canções, sendo uma inédita ao lado de 13 hinos produzidos por Rogério Sarralheiro e encontrados em disco do TS ou em participações da banda com amigos e irmãos.

O encarte traz um visual gráfico bacana, mas é bem simples. E, infelizmente, não traz a letra das canções que não são encontradas nos demais álbuns da banda.

“Sou, Dou, Vou (Pelo Meu Poder)” dá início a viagem musical. Cantado em primeira pessoa (como se fosse Jesus falando), o hino versa sobre Cristo de uma forma criativa e inteligente. Realmente é muito interessante. Só mesmo ouvindo pra conferir.

O hino conta com a participação do Art-E (Arte do Evangelismo). Este grupo de rap, que lançou no início de 2007 o excelente disco “Haja”, é o primeiro produzido por Rogério a ser lançado pelo selo Caixa d’água. O louvor não faz parte deste cd, mas sim do seu álbum solo que será lançado em 2008.

“Pista Do Céu” é um soul dançante com pitadas jazzísticas. Fez parte do repertório do segundo disco da banda “Não desista”.

“Alvo + Que A Neve” conta com a participação de Luo e também irá para o álbum solo de Sarralheiro.

Além das rimas e dos versos envolventes, o louvor traz ainda o refrão do hino “Alvo Mais Que A Neve” executado em um sample de um vinil antigo com pitch da voz alterado, dando aquela pitada divertida e irreverente na música usada também nas canções “Firme” e “Oh Vem” do TS & APC.

“Caixa D’Água” é um hino evangelístico com uma letra ousada. Foi através dessa canção que o Templo Soul alcançou notoriedade nacional. “Se você precisa de um bagulho pra ficar doidão, eu tenho a coisa certa, não é igual a nada que você já viu ou experimentou em sua vida, não é erva, não é pó e nem bebida”. Destaque para o naipe de metais com ataques precisos. Soul de primeira qualidade.

“Tua Presença” é um hino dançante muito bacana encontrado no álbum “Minha vida não para” de Francisco JC. O disco deste representante carioca da black music nacional foi produzido por Rogério, Silvera e Nehemiahs Avlis e traz, entre outras, uma excelente releitura de “Advogado” da banda “O Semeador”.

A única música inédita do TS é um soul de raiz. “Só A Graça” traz aquela pegada de guitarra característica desse estilo. Destaque para a metaleira que marca presença quebrando tudo e justificando o fato de serem chamados de “metais em brasa do Templo Soul”.

O hino escolhido para dar nome à coletânea é encontrado no terceiro disco da banda. “O Que Há De Melhor Em Mim” traz interpretações cativantes de Rogério, Ale, Silas e participação especial de Kelly Lopes (Graça Music). Ainda conta com a participação do Coral Degraus Music. O louvor explora o estilo muito usado por dirigentes como Kirk Franklin e Fred Hamond. Excelente!

“Não Pare” também encontrada no volume III. É uma das melhores. Mostra a força do soul desde a introdução. Se já não dá pra ficar parado com o swing do teclado de Waxendo, quando entra o sopro então…a casa cai (no bom sentido). “Desencosta, sai da toca, faça alguma coisa pra mudar. Parado não dá pra continuar, assim você vai congelar. Chega mais irmão, vamos adorar e Jesus Cristo vai te aquecer”. Somzeira!

“Tô Legal” é encontrado no disco “Haja” do Art-E. O hip hop é interpretado sobre a base de “Let’s Groove” do Earth, Wind & Fire. Os versos e rimas dos rappers estão muito bem feitos e encaixam-se muito bem sobre a dançante levada de baixo da música do EWF.

“Entra No Clima” foi uma das faixas mais dançantes do álbum Templo Soul & Apocalipse 16. Tem a pegada de “Não Pare”, ou seja, é uma canção TS típica. Mais uma vez os metais são um caso a parte.

“Telefone” é encontrada no segundo disco da banda e traz a participação mais que especial de Dj Alpiste. O hino versa sobre oração de uma forma que só TS e Alpiste poderiam fazer”.

“Procuram A Paz” possui uma sonoridade soul bem moderna. A letra versa sobre a suficiência de Cristo para dar sentido a nossa vida. O hino é de autoria do cantor e compositor Helmar Santana e faz parte do repertório do seu disco “Explode de alegria” produzido por Rogério.

“Mil, Dez Mil” fez parte do primeiro disco do TS. Nasceu de uma experiência que incluiu um livramento sofrido por Rogerinho um pouco antes de ser ministrado pelo baixista Abraham Laboriel e o baterista Chester Thompsom em um evento realizado na Igreja Bíblica da Paz, onde congregam os membros do grupo.

Traz mais uma vez o clima dançante do hip hop. De forma poética e dançante entoamos e tomamos posse das palavras do salmista. Destaque também para o Gui, uma criança que canta o refrão e que hoje em dia já é um pré-adolescente engrossando a voz.

“Tô Na Benção” fecha o cd com chave de ouro. Traz uma série de crianças interagindo com a galera e versando sobre adoração a qualquer hora e em qualquer lugar. A música faz parte do disco do Ministério Infantil da Igreja Bíblica da Paz. “To na bencão” também é o nome do ministério e do cd que possui composições e produção de Sarralheiro.

Em setembro de 2007 a banda abraçou um novo desafio: a gravação do seu primeiro DVD ao vivo na Igreja Bíblica da Paz – SP.

Com uma grande festa no estilo anos 70 (época que influenciou a sonoridade da banda) visam levar vidas a Jesus através do seu estilo musical, com muita adoração, evangelismo e música de qualidade.

O DVD foi produzido pelo líder da banda, Rogério Sarralheiro. O compositor e arranjador foi responsável pela direção musical do dvd do “Apocalipse 16 – 10 anos ao vivo” e também estará responsável pela produção musical e artística deste registro áudio visual.

Participações confirmadas de Luo, Ao Cubo, FLG, Art-E, Coral Degraus, dançarinos e muitas outras surpresas, bem ao estilo inusitado e dinâmico da banda.

Só nos resta aguardar…

badge_roberto.png





Show de Lançamento Dreams Coral

17 10 2007

dreamscoral2_post.png


Acontece no dia 26 de Outubro, o show de lançamento do primeiro CD do Dreams Coral. O coral, que tem sua base em Brasília, foi sonhado, idealizado e formado pelo cantor e multi-instrumentista e compositor Jordan. Jordan traz em sua experiência musical dois CDs lançados, um intitulado Sonhos, quando ainda era integrante do grupo Freedom, onde permaneceu por 3 anos e o segundo CD, já em carreira solo, intitulado Quero Adorar.

O coral apesar de interdenominacional, tem a maioria de seus integrantes como membros da Comunidade Cristã Ministério Renovo, do Pr. Wellington Cleber, que é também o responsável pela cobertura espiritual do coral. O Dreams Coral tem como influência musical Kirk Franklin e o Raiz Coral. Aliás, o Raiz Coral é uma das participações especiais já confirmadas para o show de lançamento, além de Ton Carfi, Quenani e Jackson Santana.

O evento promete agitar Brasília, com um som de qualidade e, acima de tudo, muita adoração. “Temos como alvo principal ganhar almas para o Senhor, mas não como clichê de banda e sim como meta mesmo, o amor pelas almas é o nosso lema principal”, afirma Jordan. “Sabemos que hoje em dia o descomprometimento com Deus é total, as pessoas querem fama, dinheiro e sucesso, mas temos princípios bíblicos e sabemos que tudo Deus nos acrescentará”, continua. O Dreams Coral tem se destacada no cenário gospel do Distrito Federal, justamente assim: carregando a unção de Deus em suas vozes e levando as pessoas à adoração a Deus.

Para você que deseja conferir o evento, ele acontece no Ginásio de Esportes Nilson Nelson, em Brasília, Distrito Federal, no dia 26 de Outubro, como já havia citado, às 19 horas. Os ingressos podem ser adquiridos antecipadamente em todas as Lojas Agittus. Para maiores informações, ligue para (61) 8422-0575 ou 9176-0083. Acesse também www.myspace.com/dreamscoral e confira o trabalho do coral.

“Queremos refletir o amor de Deus em nossas vidas” – Esse é o Dreams Coral, um sonho ungido por Deus. Confira!





Sérgio Saas: Tua Graça Me Basta

10 10 2007

saas_tuagraca.png

Entre os anos de 2005 e 2006, Sérgio Augusto Aguiar da Silva investiu em um projeto denominado Saas Apresenta. Os discos trouxeram em seus repertórios vários artistas do “mercado gospel” cantando ou produzindo com ele. Participaram deste projeto Marquinhos Gomes, Danilo, Ton Carfi, Lito Atalaia, MC Dom, entre outros.

Paralelo a esse trabalho ele ainda lançou no mercado o segundo álbum do Raiz Coral e fez diversas apresentações ao vivo com o Raiz, solo e com o quarteto vocal Link4uatro.

Assim como em És O Meu Herói, seu primeiro cd solo, Tua Graça Me Basta esbanja técnica, unção e criatividade. Porém dessa vez a produção, programação, arranjo e mixagem ficaram sob a responsabilidade de Jessé e superaram todas as expectativas. Nota 10!

Além desse trabalho com Saas, Jessé, que já possui um disco solo denominado “Simples Natural”, está com três projetos quase prontos para serem lançados no período 2007/2008. Um disco em parceria com Ton Carfi, um cd instrumental intitulado “Tocando a vida” e seu segundo álbum solo que se chamará “Sem limites”.

Alguém que tem se destado na produção executiva deste estilo musical é Marco Leonel (da Leonel Line), responsável pela produção executiva de DJ Alpiste (Coisas Que Você Precisa Ouvir e Pra Sempre), Tina (Mina de Ouro), Scooby (Anjos), Panthro (Meu Sonho), Apocalipse 16 (7T SP), entre outros. E vem muito por aí.

“Tua graça” dá início ao repertório com um arranjo bem elaborado. Jessé deixou a música com uma pegada densa e jazzística. O hino faz alusões as palavras do apóstolo Paulo encontradas em Romanos 7 e II Corintios 12. “Mas o mal que não quero fazer esse eu faço Senhor, mas o bem que eu tento fazer eu não faço meu Deus”. No encarte o refrão veio escrito errado, mas será consertado na segunda tiragem. Saas divide os vocais com Paloma Possi, soprano do Raiz Coral.

Marquinhos Gomes, que é cantor, compositor e saxofonista, foi um dos frutos do “Altos Louvores”, ministério de louvor notório na década de 80. Iniciou sua carreira solo com composições que marcaram os anos 90. Canções como “Águas Cristalinas”, “Tudo posso”, “O amor nunca perde”, etc…são tocadas até hoje nas igrejas. “A Minha Vitória” é um hino de sua autoria que versa sobre segurança e proteção em Jesus Cristo.

Assim como o hino anterior “Deus” é de autoria de Marquinhos Gomes e traz uma levada pop bem dançante. A letra fala que Deus está no controle independente da aparência das coisas ao nosso redor. “Ninguém pode fugir e fazer o que bem quer. Ele age como quer, Ele usa quem Ele quiser. Ninguém pode fugir e se esconder de Sua presença”.

“Não Mudou” é uma das melhores. Mantém o clima dançante, mas desta vez com uma levada funkeada com nuances de R&B. Traz ainda Daniel Shabaki dando um toque especial na canção com seu sax tenor. Somzeira!

“E mesmo apesar de ter ouvido do Senhor pra não temer ao andar por sobre as águas duvidou…”. Este episódio, entre Jesus e o discípulo narrado no livro de Mateus, capitulo 14, é a base para “Pedro”. “Hoje ao me encontrar em situação tão semelhante eu venho a Ti humildemente apresentar o meu clamor”. O hino traz um excelente arranjo de piano com frases de cordas ao fundo.

Esses dois louvores são composições de Júlio Elói, vocalista da Banda Livre Soul, e que também está gravando um disco solo, além de estar compondo o naipe de tenores do Raiz Coral. “Não mudou” iria entrar em um dos volumes do “Saas Apresenta”, mas acabou ficando para este cd solo.

Ao som do violão acústico de Bob Jonathan entoa a balada “Nasci Pra Te Adorar”. Esse louvor de adoração e exaltação a Jesus traz em suas frases trechos do Salmo 119.

A música é de autoria de Vitor Brito que também fez parceria com Saas nos hinos “Posso Ver Tua Glória” e “És O Meu Herói”. Vitor também compôs “O Chamado” e “Teu Nome É Santo” no cd do Daniel Ribeiro (Pantrho) e em breve estará lançando um álbum solo com composições próprias.

“Quem conhece o coração se não o Senhor? Quem vê toda situação? Só Ele pode julgar”. “Quem Não Merece” é um soul de autoria de Saas do ano de 2003. O hino versa sobre perdão. O flugelhorn com surdina de Marquinhos trumpet dá um toque a mais na canção.

“Vivir Sin Ti” é uma canção de Rodrigo Wegner interpretada em espanhol. Balada pop em todos os aspectos que traz uma sonoridade bacana e um solo de guitarra de Jessé.

O rapper Márcio Attack Versus e o Raiz Coral marcam presença em “Oh Glória Aleluia”. Pra quem gosta de ver a “blackeira” acontecer essa é a faixa.

Esta música foi a última a entrar no cd, substituindo “Crucificado por Jesus”, hino internacional do trio americano PCD gravada por muitos cantores adventistas no final dos anos 90. Essa faixa também fará parte do disco do Márcio que está em fase de finalização.

A seguir temos um momento contemplativo com um “Medley” composto por quatro louvores e interpretados por violão e voz. “O Poder do Espírito”, “Nos Braços de Jesus”, “Eu Vou Em Paz” e “Graça, Amor e Comunhão” são altamente inspirativos.

O disco fecha com um interlúdio baseado no refrão do R&B “Não Mudou”.

O próximo lançamento de Saas será um cd de hip hop com várias participações especiais. O disco seria chamado “Uma revanche”, mas já mudou para “Saas e uma rima”. Se não mudar de novo…

Maiores informações podem ser encontradas no site: www.saasmusic.com.br.

Até a próxima.

badge_roberto.png